domingo, 19 de dezembro de 2010

Encontraram o menino COM MARIA, sua Mãe! (Mt.2,11)

Encontraram o menino COM MARIA, sua Mãe!   (Mt.2,11)
O Natal é comemorado em toda a face da Terra.
Mas, cada povo o comemora a seu próprio modo.
Por quê?
A Igreja Católica, vivendo na alma de povos diferentes, produz maravilhosas e diversas harmonias. Ela é inesgotável em frutos de perfeição e santidade. Ela é como o sol quando transpõe vidros de cores diferentes. Quando penetra num vitral vermelho, acende um rubi; num fragmento de vitral verde, faz fulgurar uma esmeralda!
O Espírito Santo na Igreja passando pelos povos produz algo único e admirável.
 Um Menino nasceu para nós, e o Filho de Deus nos foi dado. Cujo império repousa sobre seus ombros e o seu nome é o Anjo do Grande Conselho”.No Natal, a graça da Igreja brilha de um modo especial na alma de cada católico. E de cada povo que conserva algo de católico na face da Terra inspirando incontáveis formas de comemorar o nascimento do Redentor!
E ali, junto ao Menino, uma figura silenciosa tudo via, tudo guardava, tudo agradecia: Maria, a jovem mãe, que a todos acolhia e com todos partilhava seu maior segredo – o filho de Deus! Dividida entre os afazeres primeiros de uma mãe e as tantas pessoas que queriam ver o Menino, Maria ainda meditava: o que significava tudo aquilo?  O que Deus estava lhe dizendo através do rumo daqueles acontecimentos?
A mãe do Menino soube ouvir profecias e oferecer sacrifícios como mandava a lei de seu povo. A mãe soube ser Mãe da humanidade inteira nos primeiros momentos da vida humana de Jesus: a todos permitiu chegar perto, a todos permitiu também ver as maravilhas.  Intercessora desde o primeiro instante, abriu caminhos, deu acesso. E quantos hoje querem encontrar Jesus sem Ela!
Ninguém esperou mais pelo Menino que Sua mãe!  Durante nove meses, Maria carregou dentro de si o Salvador e viveu o mistério da maternidade: gerou vida dentro de si, ao mesmo tempo em que gestava a Vida.  A gravidez de Maria foi o advento plenamente vivido, e podemos, hoje, vivê-lo em companhia da Mãe de Deus.
Observar Maria ao longo da vida de Jesus Cristo nos fará entender como fazer para entendermos a história de um Deus que caminha com a humanidade.  O Criador conhece pelo nome cada uma de suas criaturas.  Mas, às criaturas não é dado todo o conhecimento de seu Criador.  Por isso, a necessidade de saber enxergá-Lo na escuridão, escutá-Lo na turbulência e senti-Lo quando parece estar longe. Maria nos aproxima de Deus, chamando atenção aos pequenos milagres que o Senhor realiza em nossas vidas.
Uma canção natalina alemã conta que os dois iam juntos: Nossa Senhora, a flor de delicadeza, e o Menino, o tesouro do Universo!
E atravessaram um bosque de espinhos que havia sete anos que não florescia.

Veja vídeo


Nossa Senhora sozinha, trazia o Menino Jesus amparado junto a seu coração.

Mas, enquanto Nossa Senhora atravessava o bosque, os espinhos transformavam-se em rosas perfumadas para Ela.
E Ela compreendeu: foi um gesto de amabilidade de seu Filho!  Jubilosa, Ela olhou maternalmente para o Divino Infante. Ele estava dormindo, mas governava
a natureza!