quarta-feira, 9 de março de 2011

Edição do dia 09/03/2011
09/03/2011 21h03 - Atualizado em 09/03/2011 21h19

CNBB defende o meio ambiente
em Campanha da Fraternidade

Cartilhas trazem dicas como: substituir sacolas plásticas por bolsas de algodão; usar menos o carro, economizar energia e fazer a coleta seletiva.

A defesa do meio ambiente é o tema da Campanha da Fraternidade lançada nesta Quarta-Feira de Cinzas (11) pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
O cenário não poderia ser mais adequado. No encontro das águas dos rios Negro e Solimões, na Amazônia, igreja e ciência deram as mãos. O aquecimento global denunciado pelos cientistas foi incorporado pela campanha da (CNBB), sob o tema "Fraternidade e a vida no planeta".
Desertificação, derretimento das geleiras e aumento do nível do mar são consequências das mudanças no clima que pesquisadores atribuem à ação do homem. Entre as causas, estão a destruição das florestas e a queima de combustíveis fósseis. Em São Paulo, a campanha foi lançada na Catedral da Sé.
A Campanha da Fraternidade coincide com a Quaresma, o período de pouco mais de 40 dias que antecede a Páscoa e é dedicado à reflexão dos fiéis. Nas missas, nos grupos religiosos e nas pastorais, a Igreja vai alertar sobre atitudes para conter a degradação do meio ambiente.
As cartilhas distribuídas nesta quarta-feira (9) trazem dicas como: substituir sacolas plásticas por bolsas de algodão; usar menos o carro, economizar energia e fazer a coleta seletiva do lixo.
Para a Igreja, são ações urgentes. “Embora as mudanças possam ser pequeninas e aparentemente imperceptíveis, elas podem ser irreversíveis. Por isso, é preciso que nós estejamos atentos e façamos agora alguma coisa para não ser tarde demais”, afirma Dom Odilo Scherer, cardeal arcebispo de São Paulo.