domingo, 17 de maio de 2015

Onde está escrito na Bíblia…?” – Eis uma pergunta essencialmente anti-bíblica

AGORA TE PERGUNTO:....
Lenno Castelo Branco..

Onde está escrito na Bíblia…?” – Eis uma pergunta essencialmente anti-bíblica
Por A Catequista em 27/03/2015
Dardilene (nossa personagem fictícia de hoje) arrumou um novo emprego: dançarina e stripper. Quando ela comentou sobre seu trabalho na igreja onde frequenta, o povo ficou chocado, e a repreendeu. Mas a moça ignorou a advertência de seus irmãos, já que ninguém conseguiu mostrar, na Bíblia, onde está escrito que fazer strip-tease é pecado.
Bem, dentro da lógica mais restrita da doutrina fundada por Martinho Lutero, Dardilene tem razão. Não tem a palavra strip-tease na Bíblia, nem qualquer referência a essa atividade, então… Dardilene se recusa a acreditar em qualquer coisa que não esteja escrita de forma explícita nas Escrituras!
Usando esse mesmo princípio, os irmãos protestantes questionam os católicos:
“Onde está escrito na Bíblia que Pedro foi o primeiro Papa?”;
“Onde está escrito na Bíblia que Jesus fundou a Igreja Católica?”;
“Onde está escrito na Bíblia que Maria foi preservada do pecado original?”.
Alguns católicos mais inocentes caem na arapuca e tentam responder a esse tipo de pergunta de acordo com a lógica protestante. Ora, tais perguntas nascem de um princípio herético: a ideia de que a Palavra de Deus foi revelada a nós exclusivamente pela Bíblia. Não, não foi.
A pergunta “Qual o fundamento bíblico…?” é adequada, porque compreende que determinado artigo de fé pode estar implícito nas Escrituras, podendo ser explicitado pelas legítimas autoridades da Igreja. Por outro lado, a pergunta “Onde está escrito na Bíblia…?”, de modo geral, é essencialmente anti-bíblica, pois traz em si a ideia de que só a Bíblia basta para comunicar a Palavra de Deus. Porém, não há qualquer trecho das Escrituras que afirme que a Bíblia é suficiente por si mesma.
Pelo contrário: ao lado da necessidade de estudar e seguir as Escrituras, o povo de Deus recebe a ordem claríssima de seguir as orientações espirituais dadas ORALMENTE pelas autoridades estabelecidas por Deus – ou seja, a Tradição. Por isso, a fé cristã é capenga se não se firma sobre esses três pilares: Bíblia, Tradição e Magistério. Explicaremos isso melhor no próximo post (mataremos a heresia e mostraremos o pau!).
TODA DOUTRINA CATÓLICA POSSUI FUNDAMENTO BÍBLICO
Cada ponto da doutrina católica possui fundamento bíblico, mas não necessariamente explícito, e sim implícito. Por exemplo, não há qualquer passagem condenando o aborto de modo explícito, mas está implícito nas Escrituras que se trata de um pecado gravíssimo (saiba mais aqui). E justamente com base no argumento que não há nenhuma passagem explícita na bíblia sobre isso, o “bispo” Ma$$edo aprova o aborto.
Nem tudo está na Bíblia de modo explícito, até porque muitas das questões atuais que permeiam hoje a humanidade nem sequer existiam nos tempos de Cristo. Por isso, a doutrina se desenvolve ao longo dos séculos e evolui numa mesma linha (nunca se desviando da verdade revelada no Evangelho), para responder às questões de cada tempo, de cada geração.
Não foi à toa que Jesus deu as chaves do Céu a Pedro: depois da subida do Senhor aos Céus, haveria certamente de surgir questões que não haviam sido abordadas diretamente por Ele, e que teriam que ser julgadas e definidas pela Igreja como morais ou imorais. Assim, era preciso deixar na Terra um pastor visível, chefe da única Igreja fundada por Cristo, legítimo representante do Pastor que está nos Céus.
Vamos tomar como exemplos a inseminação artificial e fertilização in vitro. Já vi muitas denominações evangélicas declarando que não é pecado um casal recorrer a essas técnicas de reprodução assistida. Ok… Mas onde está escrito isso, na Bíblia? Em lugar nenhum!
Os protestantes dizem que a Bíblia é a única autoridade – Sola Scriptura. Se é assim, por coerência com a sua própria doutrina herética, deveriam simplesmente se calar sobre questões que a Bíblia não aborda explicitamente. E assumir, sem hipocrisia, que essa doutrina produz um cristianismo engessado, incapaz de dar resposta aos dramas do homem moderno.
Tudo o que é implícito em um texto requer um esforço a mais de interpretação. Em quem, então, um cristão deve confiar, para ter a chave correta de interpretação da Bíblia? Em si mesmo? Sim, de acordo com a heresia protestante do “livre exame”. Bem, o paxtô pulador de cerca do município de Serra-ES, já mostrou que essa postura é a maior furada…
É a heresia da interpretação pessoal da Bíblia que motiva a fundação de novas seitas protestantes a cada dia. E, mesmo dentro das comunidades evangélicas mais antigas, os líderes vão cada vez mais alterando a doutrina para agradar o mundo, como a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA), que na semana passada aprovou o casamento gay (Fonte: O Globo e Gospel Prime).
Também é essa heresia que leva grande parte dos protestantes a renegarem ensinamentos bíblicos essenciais e explícitos, como:
o fato de Jesus ter fundado a Igreja sobre Pedro (saiba mais aqui);
o fato de que Cristo se faz REALMENTE alimento para nós (“Isto é o meu Corpo”, “Isto é o meu sangue”…);
a necessidade de confessar os pecados a um sacerdote (João 20,23);
e a condenação de Jesus ao divórcio.
Sendo os ensinamentos bíblicos explícitos ou implícitos, dá no mesmo: os protestantes sempre dão um jeito de deturpar a Palavra de Deus, conforme a sua ignorância ou conveniência.
UMA SÓ IGREJA, UM SÓ REBANHO
Católicos ou não, todos os cristãos sinceros hão de concordar que Jesus não quis ensinar mil verdades, e sim UMA só verdade. A existência de milhares de denominações cristãs, cada uma explicando o Evangelho de uma forma diferente da outra, atenta de modo escandaloso contra a vontade de Cristo, que desejou que todos fossem um (João 17,21). E a unidade do rebanho só é possível se um só é o pastor, e uma só é a doutrina.
Se é tolice e arrogância confiar na interpretação pessoal, como checar à certeza sobre o verdadeiro sentido das passagens mais difíceis ou controversas da Bíblia?
No próximo post, refletiremos sobre essas questões e explicaremos o que é a Sagrada Tradição. Também mostraremos as bases bíblicas – explícitas, não implícitas – para a crença de que a Palavra de Deus nos é revelada por meio da Bíblia e também da Tradição. Até lá!
Dardilene (nossa personagem fictícia de hoje) arrumou um novo emprego: dançarina e stripper. Quando ela comentou sobre seu trabalho na igreja onde...
OCATEQUISTA.COM.BR