sábado, 9 de junho de 2012

Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 9 e 10

Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 9 e 10
Espero que estejam gostando desta série onde estamos publicando os escritos de São Jerônimo em defesa de Maria Santíssima. Agora publicaremos mais dois capítulos onde ele vai refutar outro argumento de Helvídio: o fato dos evangelhos chamarem os amigos e discípulos de Jesus de irmãos.





Capítulo IX
Helvídio poderá responder: “O que você diz é, na minha opinião, insignificante. Seus argumentos foram perdidos no tempo e esta discussão demonstra mais astúcia do que verdade. Por que a Escritura não diria como diz de Tamar e Judá: ‘E ele a tomou como sua esposa e jamais a conheceu’? Porque Mateus não usou estas palavras se quisesse mesmo expressar esse significado? Ele diz claramente: ‘e não a conheceu até que deu à luz a um filho’. Logo, após o parto, certamente a conheceu, pois se privou dela até o momento do parto”.
Capítulo X
Se vocês são tão contenciosos, deveriam com suas próprias idéias testar o vosso mestre. Vocês não devem permitir que se faça uma separação entre o parto e o intercurso (sexual). Não devem dizer: “Se uma mulher conceber e tiver um menino, será imunda sete dias; assim como nos dias da impureza de suas regras, será imunda. No oitavo dia, circundar-se-á o prepúcio do menino e, durante trinta e três dias, ela ficará ainda purificando-se do seu sangue e não tocará em qualquer coisa sagrada” e outras coisas semelhantes. Devem recordar que se José se aproximasse dela, estaria sujeito à reprovação de Jeremias: “São como cavalos de lançamento bem nutridos, que andam relinchando cada um à mulher do seu próximo”.
De outra maneira, como se explicariam as palavras “e não a conheceu até que deu à luz a um filho”, se ele ainda deveria aguardar o término do tempo de purificação, pois senão o seu desejo acabaria por sofrer com um período ainda mais longo, de 40 dias? A mãe precisava se purificar da mácula de seu filho recém-nascido de modo que este ficava sob os cuidados da parteira, enquanto o marido apoiava sua esposa enfraquecida. Portanto, é certo que [José e Maria] se casaram, já que o Evangelista não pode ser acusado de ter mentido. Mas Deus nos livre de pensarmos tais coisas a respeito da mãe do Salvador e de um homem justo! Nenhuma parteira assistiu ao nascimento de Jesus; nenhuma mulher se intrometeu ali. Com suas próprias mãos [Maria] envolveu o Menino em pedaços de pano; ela mesma foi mãe e parteira, e, como nos é relatado, “O colocou numa manjedoura, pois não havia nenhum quarto para eles na pousada”; eis a declaração [canônica] que refuta as estórias apócrifas, pois foi Maria mesma que o envolveu em pedaços de pano e o que se sucederia a partir daí torna impossível a maliciosa idéia de Helvídio, uma vez que não havia um local adequado para o ato sexual naquela pousada.
Veja Também:: Capítulos 1 e 2 | Capítulos 3 e 4 | Capítulo 5 e 6 | Capítulos 7 e 8
( Tradução: José Fernandes Vidal e Carlos Martins Nabeto – Central de Obras do Cristianismo Primitivo)


Gostou? Clique no link abaixo e conheça o blog que publicou essa postagem!


Virgindade Perpétua de Maria:: Escritos de São Jerônimo – Capítulos 9 e 10


Postado por Danilo Badaró


fonte e continuação: http://blogscatolicos.blogspot.com.br/2012/06/virgindade-perpetua-de-maria-escritos.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+GuiaDeBlogsCatlicos+(Guia+de+Blogs+Cat%C3%B3licos)