quinta-feira, 7 de junho de 2012

Meditações para o dia de Corpus Christi


Meditações para o dia de Corpus Christi quinta-feira, 7 de junho de 2012
Índice:
1 - Como neste Sacramento se mostra ao homem a grande bondade e caridade de Deus2 - Dos admiráveis frutos colhidos pelos que comungam devotamente3 - Pergunta concernente ao exercício antes da comunhão4 - Que a alma se deve preparar com grande diligência para a sagrada comunhão

Como neste Sacramento se mostra ao homem a grande bondade ecaridade de Deus

1. Confiado, Senhor, na vossa bondade e grande misericórdia, a vósme chego, qual enfermo ao médico, faminto e sequioso à fonte davida, indigente ao Rei do céu, servo ao Senhor, criatura ao Criador,desconsolado ao meu piedoso Consolador. Mas donde me vem agraça de virdes a mim?
Quem sou eu, para que vós mesmos vosofereçais a mim? Como ousa o pecador aparecer diante de vós? evós, como vos dignais vir ao pecador? Conheceis vosso servo esabeis que nenhum bem há nele para que lhe presteis essebenefício. Confesso, pois, minha vileza, reconheço vossa bondade,louvo vossa misericórdia e dou-vos graças por vossa excessivacaridade.
Por vós mesmos fazeis isso, não por meusmerecimentos, mas para que vossa bondade me seja maismanifesta, maior caridade me seja infundida e a caridade me sejamais perfeitamente recomendada. Pois que assim vos apraz eassim ordenastes, a mim também me agrada vossacondescendência, e oxalá não ponham estorvo meus pecados!

2. Ó dulcíssimo e benigníssimo Jesus! louvor vos devo pelaparticipação do vosso sacratíssimo corpo, cuja existência ninguém pode explicar!Mas que hei de pensar nesta comunhão, chegandome a meu Senhor,a quem não posso devidamente honrar,todavia desejo receber com devoção? Que coisa melhor e maissalutar posso pensar, senão humilhar-me totalmente diante de vóse exaltar vossa infinita bondade para comigo? Eu vos louvo, Deusmeu, e vos engrandeço para sempre. Desprezo-me e a vós mesubmeto no abismo de minha vileza.

3. Vós sois o Santo dos santos, e eu a escória dos pecadores. Vósbaixais para mim, que não sou digno de levantar os olhos para vós.Vindes a mim, quereis estar comigo, convidais-me ao vossobanquete. Quereis dar-me o alimento espiritual e o pão dos anjos,que outro, na verdade, não é senão vós mesmos, pão vivo, quedescestes do céu e dais a vida ao mundo.

4. Eis a fonte do amor, donde resplandece a vossa misericórdia! Queações de graças vos são devidas por este benefício! Oh! quãosalutar e proveitoso foi o vosso desígnio, em instituir esteSacramento! Quão suave e delicioso banquete, em que a vósmesmos vos destes em alimento! Quão admiráveis, Senhor, sãovossas obras, quão inefável vossa verdade! Porque dissestes - etudo se fez, e fez-se aquilo que ordenastes.

5. Coisa maravilhosa e digna de fé e acima de toda compreensãohumana é que vós, Senhor, meu Deus, verdadeiro Deus e homem,estejais todo inteiro debaixo das insignificantes espécies de pão evinho, e, sem serdes consumido, alimentais aquele que vosrecebe. Vós, Senhor do universo, que não precisas de coisaalguma, quisestes morar em nós por vosso Sacramento; conservaimeu coração e meu corpo sem mancha, para que com alegre epura consciência possa muitas vezes celebrar e receber vossosmistérios, para minha eterna salvação, visto que os instituístes eordenastes principalmente para vossa honra e perpétua lembrança.

6. Regozija-te, minha alma, e agradece a Deus tão excelente dádivae singular consolação, que ele te deixou neste vale de lágrimas.Porque todas as vezes que celebrares este mistério e receberes ocorpo de Cristo, renovas a obra de tua redenção e te tornasparticipante de todos os merecimentos de Cristo. Pois a caridadede Cristo nunca se diminui, nem se esgota jamais a grandeza desua propiciação. Por isso te deves preparar sempre para este atopela renovação do espírito, e considerar com atenção este grandemistério de salvação. Tão grande, novo e delicioso se te deveafigurar, quando celebras ou ouves Missa, como se Cristo nomesmo dia descesse pela primeira vez ao seio da Virgeme se fizesse homem, ou como se, pendente da cruz,padecesse e morresse pela salvação dos homens.

Dos admiráveis frutos colhidos pelos que comungam devotamente

1. Senhor, meu Deus! Preveni vosso servo com as bênçãos de vossadoçura, para que mereça digna e devotamente chegar-me a vossoaugusto Sacramento. Despertai meu coração para vós e tirai-medeste profundo entorpecimento. "Visitai-me com vossa graçasalutar" (Sl 105,4), para que goze em espírito vossa doçura, quecom abundância está oculta neste Sacramento, como em suafonte. Iluminai também meus olhos para contemplar tão altomistério, e fortalecei-me para crer nele com fé inabalável. Porque éobra vossa e não de poder humano, sagrada instituição vossa, nãoinvenção dos homens. Ninguém, com efeito, se si mesmo é capazde conceber e compreender este mistério, que transcende àprópria inteligência dos anjos. Que, pois, poderei eu, pecadorindigno, pó e cinza, investigar e compreender de tão alto e sagradomistério?

2. Senhor, na simplicidade do meu coração, com firme e sincera fé, eobedecendo a vosso mandado, me aproximo de vós comesperança e reverência e creio verdadeiramente que estaispresente aqui no Sacramento, Deus e homem.Pois quereis que vos receba e me uno convosco em caridade.

Por isso imploro vossa clemência e vos suplico a graça particular de que todo medesfaleça em vós e me consuma em amor, sem mais cuidar denenhuma outra consolação. Porque este altíssimo e diviníssimoSacramento é a saúde da alma e do corpo, remédio de todaenfermidade espiritual; cura os vícios, reprime as paixões, venceou enfraquece as tentações, comunica maior graça, corrobora avirtude nascente, confirma a fé, fortalece a esperança, inflama edilata a caridade.

3. Muitos bens condedestes e concedeis ainda a miúdo aos vossosamigos, neste Sacramento, quando devotamente comungam, óDeus meu, amparo da minha alma, reparador da humana fraquezae dispensador de toda consolação interior. Porque lhes infundisabundantes consolações contra várias tribulações e os levantais doabismo do próprio abatimento à esperança da vossa proteção e osrecreais e iluminais interiormente com a nova graça, de sorte queos mesmos que antes da comunhão se sentiam inquietos e semafeto, depois de recreados com o manjar e a bebida celestiais sesentem melhorados e fervorosos.
Tudo isso prodigalizais aos vossos escolhidos, para que verdadeiramente conheçam eevidentemente experimentem quanta fraqueza têm em si mesmose quanta bondade e graça alcançam de vós. Pois de si mesmossão frios, tíbios e insensíveis; por vós, porém, tornam-sefervorosos, alegres e devotos. Quem, porventura, se chegaráhumilde à fonte da suavidade, que não receba dela algumadoçura? Ou quem, junto de um grande fogo, deixará de sentiralgum calor? E vós sois a fonte sempre cheia e abundante; o fogoque sempre arde sem jamais se apagar.

4. Por isso, se me não é dado haurir da plenitude desta fonte, nembeber até me saciar, chegarei, todavia, meus lábios ao orifício docanal celeste, a fim de que receba daí ao menos uma gota, pararefrigerar minha sede e não morrer de secura. E se não possoainda ser todo celestial, nem tão abrasado como os querubins eserafins, contudo me empenharei por permanecer na devoção edispor meu coração, para que pela recepção humilde destevivificante Sacramento receba ao menos uma tênue faísca dodivino incêndio. O que me falta, porém, ó bom Jesus, Salvadorsantíssimo, supri-o pela vossa bondade e graça, pois vos dignasteschamar-nos todos a vós, dizendo: Vinde a mim todos que penais eestais sobrecarregados, e eu vos aliviarei.

5. Na verdade, eu trabalho com o suor do meu rosto, souatormentado com angústias do coração, estou carregado depecados, molestado de tentações, embaraçado e oprimido commuitas paixões e não há ninguém que me ajude, livre ou salve,senão vós, Senhor Deus, Salvador meu, a quem me entrego, comtudo o que me pertence, para que me guardeis e leveis à vidaeterna. Recebei-me para honra e glória de vosso nome, pois mepreparastes para a comida e bebida o vosso corpo e sangue.Concedei-me, Senhor Deus, Salvador meu, que com a frequênciade vosso mistério se me aumente o fervor da devoção.


Pergunta concernente ao exercício antes da comunhão
1. Senhor, quando considero vossa dignidade e minha baixeza, tremode medo e me envergonho diante de mim mesmo. Porque, se menão chego a vós, fujo da vida, e se me apresento indignamente,incorro em vossa indignação. Que farei, pois, Deus meu, meuauxílio e conselheiro em meu apuros?

2. Ensinai-me vós o caminho direto, mostrai-me algum breveexercício. Porque me é útil saber de que modo devo, com devoçãoe respeito, preparar o meu coração para receber com fruto vossoSacramento ou celebrar tão grande e divino sacrifício.


Que a alma se deve preparar com grande diligência para a sagradacomunhão

1. Sou amigo da pureza e dispensador de toda santidade. Busco umcoração puro, e este é o lugar do meu repouso. Prepara-me um cenáculogrande e bem ornado, e nele celebrarei a Páscoa com meus discípulos(Lc 22,12; Mt 26,18). Se queres que eu venha a ti e fique contigo, lançafora o velho fermento e limpa a morada do teu coração.
Desterra dele o mundo todo e o tumulto dos vícios; assenta-te, qual passarinhosolitário, no telhado, e relembra teus pecados na amargura de tua alma(Sl 101,8). Porque todo amante prepara para o seu amado o melhor emais belo aposento, porque nisto se conhece o amor de quem acolhe oamado.
1. Sabe, porém, que não podes chegar a uma digna preparação comaquilo que fazes, ainda que empregasses nela um ano inteiro, semcuidar em mais nada. Mas só por minha bondade e graça te épermitido chegar à minha mesa, como se um mendigo foraconvidado à mesa de um rico e não tivera outra coisa com quepagar os benefícios recebidos, senão humilde agradecimento.Faze o que podes, e faze-o com diligência; não por costume ou pornecessidade, mas por temor, respeito e amor, recebe o corpo doteu amado Senhor e Deus, que se digna de te visitar. Sou eu quemte chamou e mandou que assim se fizesse; eu suprirei o que tefalta; vem receber-me.
2. Quando te concedo a graça da devoção, dá graças a teu Deus,não que sejas digno, mas porque tive pena de ti. Se não tensdevoção, mas te sentes muito seco, persevera na oração, suspira,bate à porta e não cesses até que mereças receber uma migalhaou uma gota de minha graça salutar. Tu necessitas de mim, e nãoeu de ti. Não vens tu me santificar, mas sou eu quem te venhosantificar e fazer melhor. Tu vens para que, santificado por mim e amim unido, recebas nova graça e de novo te afervores para aemenda. "Não desprezes esta graça" (1Tim 4,14); mas dispõe comtoda diligência teu coração e recebe nele o teu Amado.
3. Importa, porém, que não só te prepares para a devoção antes dacomunhão, mas também que a conserves cuidadosamente depoisda recepção do Sacramento. Não é menor a vigilância que seexige depois da comunhão, do que a fervorosa preparação antesde recebê-la. Pois essa boa vigilância posterior é novamente amelhor preparação para alcançar maior graça; ao contrário, muitoindisposto se torna quem logo depois se dissipa com recreaçõesexteriores. Guarda-te de falar muito, retira-te na solidão e goza doteu Deus; pois possuis aquele que o mundo todo te não poderoubar. A mim te deves entregar inteiramente, de sorte que já nãovivas em ti, mas em mim, sem mais cuidado algum.

(Da Imitação de Cristo)
fonte:http://catolicostradicionais.blogspot.com.br/2012/06/meditacoes-para-o-dia-de-corpus-christi.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+CatlicosFiisTradio+(Cat%C3%B3licos+Fi%C3%A9is+%C3%A0+Tradi%C3%A7%C3%A3o)