sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Campanha e aí globo,eles também merecem um festival?


Como ficaria a sociedade e sua cidade se a Igreja católica desaparecesse?


Em seu livro The Emerging Catholic Church (Ed. Orbis), Tom Roberts (foto) relatou e observou a “busca por si mesma” da comunidade católica.
No trecho que segue, retirado do livro, ele se afasta do relato para oferecer uma avaliação inicial.
Roberts é editor do jornal católico norte-americanoNational Catholic Reporter há 17 anos, tendo sido anteriormente editor do jornal Religious News Service. O trecho foi publicado no sítio National Catholic Reporter

Eis o texto.
Remova a Igreja Católica e o trabalho do seu povo do nosso meio, e a vida deste país seria dramaticamente diferente e muito pior do que é.( ele é norte americano)
Escolha uma cidade e comece removendo os ministérios e o trabalho das paróquias católicas e dos católicos independentes agindo a partir da sua compreensão do Evangelho e do ensino social da Igreja.
Leve embora, por exemplo, o centro iniciado décadas atrás por um casal de irmãs que cuida dos filhos de mães pobres, que trabalham, geralmente solteiras.
Elimine a agência nessa mesma cidade que trabalha contra as grandes probabilidades de que um número crescente de homens e de mulheres sejam libertados da prisão sem nada mais do que as roupas que vestem.
Há irmãs que estão transformando blocos inteiros de pragas urbanas cuidando dos marginalizados, formando pessoas para os seus trabalhos, reabilitando casas e dirigindo centros residenciais de reabilitação das drogas.
Padres, irmãs e líderes leigos advogam, das fronteiras do Texas e do Arizona ao centro de detenção de imigrantes em Newark, em favor dos refugiados que buscam um novo lar e novas vidas. Em algumas das circunstâncias mais desesperadoras deste país, uma “nova evangelização”, inteiramente nova, segue em frente, não com palavras e dogma, mas com o poder da presença e do amor transformador.
Crianças estão sendo resgatadas de ambientes inimagináveis e são ensinadas a reimaginar seus futuros; arte e da literatura, agricultura urbana e novas formas de comunidade começam a fazer parte da história da Ressurreição em cidades do interior infernais.
Escolha qualquer cidade e comece eliminando as cozinhas de sopa e os bancos de roupas e de alimentos, as organizações de caridade católicas que ajudam as pessoas com tudo, desde a habitação ao aconselhamento.
Dentre todos os programas que visam a tentar preencher as lacunas entre as facções da comunidade católica, talvez nenhum encontre uma maior difusão de afinidades do que o JustFaith, o movimento iniciado por Jack Jezreel. Esse não é um programa barato de distribuição de graças. Os participantes se comprometem a meses de encontros com um pequeno grupo, um grande volume de leituras na área da justiça social, e uma determinação de enfrentar alguns dos problemas mais preocupantes do mundo a partir de uma perspectiva cristã e católica. O “curso” inclui visitas a partes raramente vistas das comunidades locais, aquelas partes em que os falidos e marginalizados moram e recebem apoio.
Dezenas de milhares de católicos em todo o país têm se debatido ao longo dos meses com as complexidades de determinar o que é justo e o que pode trazer a paz para situações que vão da cena vista do lado de fora das suas portas aos megaproblemas da guerra, da pobreza, dos refugiados e da degradação ambiental global. Muitos têm se encontrado mudados para sempre nesse processo, conscientes de coisas que eles não haviam ponderado antes, a partir de um ponto de vista ancorado profundamente nos Evangelhos cristãos e, no fim, empoderados a agir como jamais poderiam imaginar.
Multiplique estas poucas observações por centenas e centenas de vezes em todo o país. Remova toda aquela atividade ser humano a ser humano e a oração sobre a qual ela está construída e que a acompanha. A vida de muitos se tornaria extremamente sombria e sem esperança.
A presença católica na cultura é significativa. Da paróquia ao Palácio do Estado, do Congresso à Suprema Corte, da academia a Wall Street, provavelmente nunca houve um momento na história do nosso país em que a vida católica se projetou tão robustamente na vida norte-americana.


fonte;http://fimdostempos.net/igreja-catolica-desaparecesse.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+fimdostempos+%28FimdosTempos.net%29

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!!!!

GOSTARIA DE DESEJAR UM FELIZ NATAL A TODOS MEUS AMIGOS VIRTUAIS!  QUE JESUS POSSA NASCER EM CADA CORAÇÃO NESTE NATAL!!!

UM PROSPERO ANO NOVO,COM MUITA SAÚDE, PAZ, HARMONIA E COM O PRINCIPAL JESUS NO CORAÇÃO!!!  

ESTAREI NO RIO DE JANEIRO DO DIA 24 DE DEZEMBRO AO DIA 01 DE JANEIRO! BJS PARA TODOS! 

PEDRO CARLOS VILLAR(ARC@NJO)

Oração ou Reza?


Oração ou Reza?



Fonte: Apostolado Spiritus Paraclitus
Quantas vezes você já não ouviu esse paralelo ignorante que alguns protestantes fazem em relação a essas palavras? Quantas vezes você já não foi questionado a respeito de seu uso e desuso e, por fim, quantos de nós católicos também caem nessa falácia de que uma difere e profana a outra. ESTUPIDEZ e IGNORÂNCIA. Veremos que isso nada tem haver com que uma grande parte da população atual menciona como certo e errado.

Vermelho ou encarnado? Um termo vale o outro, com a diferença de que “vermelho” é da língua literária, “encarnado” da língua popular. Igualmente, “oração” é palavra clássica, ao passo que “reza” é da língua caseira. Mas o mesmíssimo significado: A elevação da mente e do coração a Deus, para o adorar, agradecer e pedir-lhe as graças de que necessitamos. É somente isto a vontade de Deus, não lhe interessa o som das palavras, diferentes nas várias línguas.

Isso vale aqueles que, destituídos de um mínimo de cultura ou honestidade intelectual, fazem das duas palavras, “oração” e “reza”, um cavalo de batalha. “Nós oramos os católicos rezam: logo, os católicos estão errados”. Os desinformados e/ou desonestos precisam saber que “oração” “orar” (sem necessidade de remontar ao hebraico “Or” (Luz)), são palavras originadas do latim, língua de Roma e, portanto, língua legítima da Igreja Católica: (Oratio , orare). Até a aparição dos primeiros protestantes (1520), foram de exclusividade nossa, na liturgia da Igreja Ocidental. Querer vender-nos o que é nosso é crime de estelionato!
Sendo um pouco mais específico Orar vem do latim orare; e rezar, do latim recitare, que também deu em português recitar. Já em latim, os verbos orare e recitare têm sentidos muito próximos: o primeiro significa “pronunciar uma fórmula ritual, uma oração, uma defesa em juízo”; o segundo, “ler em voz alta e clara” (portanto, o mesmo que em português recitar). Entretanto, para orare prevaleceu na latinidade e nas línguas românicas o sentido de rezar, isto é, dizer ou fazer uma oração ou súplica religiosa (cfr. A. Ernout–A. Meillet,Dictionnaire étymologique de la langue latine — Histoire des mots, Klincksieck, Paris, 4ª ed., 1979, p. 469). Nós, católicos, damos ao verbo rezar um sentido bastante amplo e genérico, e reservamos a palavra oração mais especialmente — mas não exclusivamente — para os diversos gêneros de oração mental, como a meditação, a contemplação etc. Não há razão, portanto, para fazer dessa ligeira diferença, comum nos sinônimos, um tema de disputas.
Os protestantes, entretanto, salientam a diferença por dois motivos. Primeiro, porque para eles serve de senha. Com efeito, acentuando arbitrariamente essa pequena diferença de matiz entre as palavras, eles utilizam orar em vez de rezar, e assim imediatamente se identificam comocrentes (como diziam até há pouco) ou evangélicos (como preferem dizer agora). Isso tem a vantagem, para eles, de detectar entre os circunstantes os outros protestantes que ali estejam. É um expediente ao qual recorrem todas as seitas dotadas de um forte desejo de expansão, como é o caso dos protestantes no Brasil.
Por outro lado, a oração, para os protestantes, não tem o mesmo alcance que para nós, católicos. Enquanto para nós o termo oração engloba todos os gêneros de oração — desde a oração de petição até as orações de louvor e glorificação de Deus — os protestantes esvaziam a necessidade da oração de petição, que para eles tem pouco ou nenhum sentido. Com efeito, como nós, católicos, sabemos, a vida nesta Terra é uma luta árdua, em que devemos pedir a Deus em primeiro lugar os bens eternos, e depois os bens terrenos de que temos necessidade. É o que ensinou Nosso Senhor Jesus Cristo.
Até ontem, quando a Missa era em latim, assim como ainda hoje em boa língua portuguesa, o termo clássico era de uso comum, esses ignorantes deveriam verificar entre qualquer Igreja Católica, durante a Missa e ouvirão, mais de uma vez, o convite do celebrante: “Oremos!” E, uma vez o solene: “Orai irmãos para que nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai, Todo Poderoso”. Dizer que a Igreja não ora é no mínimo preguiça de pesquisar a verdade, a Igreja nunca fez distinção entre uma coisa e outra, pois via e continua a ver o mesmo significado em ambas as palavras, o que sempre foi real, os santos e santas que nos antecederam assim já nos demonstravam:
“Depois que ficava em oração, via que saia dela muito melhorada e mais forte.” Santa Teresa d’Ávila“Assim como necessitamos continuamente da respiração, assim também temos necessidade do auxílio de Deus; porém se queremos, facilmente podemos atraí-lo pela oração.” São João Crisóstomo“Ora et Labora!”Reza e trabalha! São Bento“Sabe viver bem quem sabe rezar bem.” Santo Afonso Maria de Ligório“A oração consiste em tratar a Deus como um pai, um irmão, um Senhor e um Esposo.” Santa Teresinha“Quem começou a rezar não deve interromper a oração, em que pesem os pecados cometidos.”“Com a oração poderá logo soerguer-se, ao passo que sem ela ser-lhe-á muito difícil. Não deixe que o demônio o tente a abandonar a oração por humildade” Santa Teresinha
Podemos perceber então que tal distinção não fazia e nunca fez parte da vida religiosa dos santos e santas da Igreja, como então continuarmos com esse paralelismo que, até entre os católicos hoje existe? Basta parar de acreditar na primeira besteira que se ouve e buscar a Sabedoria da Igreja de dois mil anos, que tem todas as respostas necessárias.
Ainda neste contexto perceberemos que nem mesmo o Catecismo da Igreja Católica difere uma coisa da outra, pois ao utilizar ambas demonstra que não existe e nunca existiu diferentes significados, podendo assim serem usadas sem problema algum de cometer um dito “erro”, vejamos:
“A Oração é a elevação da alma a Deus ou o pedido a Deus nos bens convenientes. De onde falamos nós, ao rezar?…” CIC 2559
“[...] Os Salmos alimentam e exprimem a oração do povo de Deus como assembléia, por ocasião das grandes festas em Jerusalém e cada sábado nas sinagogas. [...] Rezados e realizados em Cristo, os Salmos são sempre essenciais à oração de Sua Igreja.” CIC 2586
“A oração não se reduz ao surgir espontâneo de um impulso interior; para rezar é preciso querer. Não basta saber o que as Escrituras revelam sobre a oração; também é indispensável aprender a rezar, E é por uma transmissão viva (a Sagrada Tradição) que o Espírito Santo, na ‘Igreja crente e orante’, ensina os filhos de Deus a rezar.” CIC 2650
Fica evidente então a Sabedoria da Igreja e a Verdade que nela, através de Nosso Senhor, se expressa. Em outra Crítica protestante acerca da prática de tais palavras veremos, a seguir, o cuidado que devemos ter.
A CRÍTICA PROTESTANTE A RESPEITO DAS PALAVRAS REPETIDAS
Para sustentar que “não devemos orar repetidas vezes”, os protestantes, como diz a missivista, apelam para a Bíblia. Provavelmente se referem ao Evangelho de São Mateus (6,7): “Nas vossas orações, não queirais usar muitas palavras, como os pagãos, pois julgam que, pelo seu muito falar, serão ouvidos”.
A interpretação deste texto de São Mateus não é entretanto a que os protestantes lhe dão. Ele significa simplesmente que a eficácia da oração não decorre da loquacidade, mas sobretudo das boas disposições do coração. As disposições sendo boas, em princípio, quanto mais se reza, melhor! E o próprio Jesus Cristo Nosso Senhor deu o exemplo de uma oração longa e repetitiva no Horto das Oliveiras, quando, prostrado com o rosto em terra, rezou por mais de uma hora, dizendo: Pai, se é possível, afaste-se de mim este cálice; mas não se faça a minha vontade, e sim a vossa (cfr. Mt 26, 39-44; Lc 22, 41-45).
Quanto à necessidade da insistência na oração, no Evangelho de São Lucas (11, 5-8) se lê a impressionante lição do Divino Mestre: “Se algum de vós tiver um amigo, e for ter com ele à meia-noite, e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, porque um meu amigo acaba de chegar a minha casa de viagem, e não tenho nada que lhe dar; e ele, respondendo lá de dentro, disser: Não me sejas importuno, a porta já está fechada, e os meus filhos estão deitados comigo; não me posso levantar para te dar coisa alguma. E, se o outro perseverar em bater, digo-vos que, ainda que ele se não levantasse a dar-lhos por ser seu amigo, certamente pela sua importunação se levantará, e lhe dará quantos pães precisar”.
A reiteração de nossos pedidos a Deus deve pois chegar a esse ponto da importunação, segundo o conselho do mesmo Nosso Senhor. E por aí se vê como os protestantes, abandonando a sabedoria da Igreja e arrogando-se o direito ao livre exame, se afastam da reta interpretação das Sagradas Escrituras, fazendo ilações lineares, sem levar em conta outras passagens sobre o mesmo tema, o que é indispensável para chegar ao verdadeiro sentido de todas elas.
Que possamos com esta elucidação parar de fazer esse paralelismo errôneo e protestante e de uma vez por todas também aprender a nos defender nesta questão de fé, sempre com a caridade e piedade cristã que nos é lícita mas sem nunca deixarmos de anunciar a Verdade a nós revelada.
Que Nosso Senhor sempre vos Ilumine e que vosso coração sempre tenha espaço para a Santíssima Virgem Maria!
Posts relacionados:



FONTE:http://www.bibliacatolica.com.br/blog/doutrina-catolica/o-rosario-e-biblico/

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Qual o destino dos suicidas?

Qual o destino dos suicidas?

Postado por Erick Ramon

O destino após a morte da uma pessoa que comete suicídio pode ser: 1) Purgatório (purificação após a morte) e por fim o Céu; ou 2) Inferno. Não compete a nós julgarmos se um suicida se condenou ou não. Só Deus julga. Só Deus sabe quem morre arrependido unido a Ele ou quem morre separado D'Ele. A todos Deus dá as graças suficientes para a salvação, porque Ele quer a salvação de todos. Deus, porém, respeita a nossa liberdade, isto é, Ele não se impõe, mas com paciência e compreensão a todo o momento nos chama à conversão, ao arrependimento e ao abandono à Sua misericórdia que é infinita.

Leiamos o que nos ensina sobre o suicídio o Catecismo da Igreja Católica - edição típica vaticana, Edições Loyola, São Paulo, 2000, em seus parágrafos 2280 a 2283, transcritos abaixo:

"O SUICÍDIO

2280. Cada qual é responsável perante Deus pela vida que Ele lhe deu, Deus é o senhor soberano da vida; devemos recebê-la com reconhecimento e preservá-la para sua honra e salvação das nossas almas. Nós somos administradores e não proprietários da vida que Deus nos confiou; não podemos dispor dela.

2281. O suicídio contraria a inclinação natural do ser humano para conservar e perpetuar a sua vida. É gravemente contrário ao justo amor de si mesmo. Ofende igualmente o amor do próximo, porque quebra injustamente os laços de solidariedade com as sociedades familiar, nacional e humana, em relação às quais temos obrigações a cumprir. O suicídio é contrário ao amor do Deus vivo.

2282. Se for cometido com a intenção de servir de exemplo, sobretudo para os jovens, o suicídio assume ainda a gravidade do escândalo. A cooperação voluntária no suicídio é contrária à lei moral.

Perturbações psíquicas graves, a angústia ou o temor grave duma provação, dum sofrimento, da tortura, são circunstâncias que podem diminuir a responsabilidade do suicida.

2283. Não se deve desesperar da salvação eterna das pessoas que se suicidaram. Deus pode, por caminhos que só Ele conhece, oferecer-lhes a ocasião de um arrependimento salutar. A Igreja ora pelas pessoas que atentaram contra a própria vida."


Portanto caro Luiz Henrique, como diz o Catecismo: "Não se deve desesperar da salvação eterna das pessoas que se suicidaram. Deus pode, por caminhos que só Ele conhece, oferecer-lhes a ocasião de um arrependimento salutar. A Igreja ora pelas pessoas que atentaram contra a própria vida."
FONTE:http://vocacionadosdedeusemaria.blogspot.com/2011/12/qual-o-destino-dos-suicidas.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+Vocacionadosdedeusemaria+%28Vocacionados+Menores%29

O Purgatório e a Oração pelos Mortos


Os protestantes dizem que não adianta orar pelos mortos, pois a oração deve ser somente por aqueles que estão em vida. Para entender melhor vamos fazer um resumo do que acontece com os que morrem. Vejamos bem: Os que morrem na graça de Deus se salvam. Vão diretamente ao Céu. Os que rejeitam a Deus como Criador e a Jesus como Salvador durante esta vida e morrem em pecado mortal se condenam. Esta resposta é clara entre Católicos e protestantes.

Mas o que acontece com os que morrem em pecado venial ou que não satisfizeram plenamente por seus pecados? Aí está a diferença entre Católicos e protestantes. Os Católicos acreditam no Purgatório que é um estado por meio do qual, em atenção aos méritos de Cristo, se purificam as almas dos que morreram na graça de Deus, mas que ainda não satisfizeram plenamente por seus pecados.

O Purgatório não é um estado definitivo mas temporário. E ficam neste estado aqueles que ao morrer não estão plenamente purificados das impurezas do pecado, já que no Céu não pode entrar nada que seja impuro (Ap 21, 27). No Purgatório, Deus em sua misericórdia infinita, purificará suas almas. Um exemplo bem claro desta purificação está em(Malaquias 3, 1- 4) onde diz: "Vou mandar o meu mensageiro para preparar o meu caminho. E imediatamente virá ao seu templo o Senhor que buscais, o anjo da aliança que desejais. Ei-lo que vem - diz o Senhor dos exércitos. Quem estará seguro no dia de sua vinda? Quem poderá resistir quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do fundidor, como a lixívia dos lavadeiros. Sentar-se-á para fundir e purificar a prata; purificará os filhos de Levi e os refinará, como se refinam o ouro e a prata; então eles serão para o Senhor aqueles que apresentarão as ofertas como convêm. E a oblação de Judá e de Jerusalém será agradável ao Senhor, como nos dias antigos, como nos anos de outrora". Se isso não é o Purgatório, o que é então?

Um outro texto Bíblico é o de (1 Pedro 3, 19 ? 20) onde diz: "É neste mesmo espírito que ele foi pregar aos espíritos que eram detidos no cárcere, àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes, quando Deus aguardava com paciência, enquanto se edificava a arca, na qual poucas pessoas, isto é, apenas oito se salvaram através da água". Eis aí o Purgatório novamente!

Mais outro texto é o de (1 Cor 3, 11 ? 15) onde diz: "Quanto ao fundamento, ninguém pode pôr outro diverso daquele que já foi posto: Jesus Cristo". "Agora, se alguém edifica sobre este fundamento, com ouro, ou com prata, ou com pedras preciosas, com madeira, ou com feno, ou com palha, a obra de cada um aparecerá. O dia (do julgamento) demonstrá-lo-á. Será descoberto pelo fogo; o fogo provará o que vale o trabalho de cada um. Se a construção resistir, o construtor receberá a recompensa. Se pegar fogo, arcará com os danos. Ele será salvo, porém passando de alguma maneira através do fogo".

Quanto à duração do Purgatório podemos dizer que depois que Jesus vier pela segunda vez e se puser fim à história da humanidade, o Purgatório deixará de existir e só haverá Céu e Inferno.

Para os Católicos pode-se oferecer orações, sacrifícios e Missas pelos mortos, para que suas almas sejam purificadas de seus pecados e possam entrar quanto antes na glória e gozar da presença Divina. Um outro exemplo que está na Bíblia é o de (2 Macabeus 12, 43-46) onde se diz: "Em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição, porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles. Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente, era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas".

Mesmo mostrando dentro da Bíblia que existe o purgatório, os protestantes insistem em que esta palavra é uma invenção da Igreja Católica. Nós argumentamos que tampouco está na Bíblia a palavra "ENCARNAÇÃO" e, no entanto, todos cremos nela. Tampouco está a palavra "TRINDADE" e todos, Católicos e Protestantes, crêem neste Mistério. Portanto a argumentação dos protestantes que não existe a palavra "Purgatório" está equivocada.

Em definitivo, o porque desta diferença é muito simples. Eles só admitem a Bíblia, em compensação para os Católicos, a Bíblia não é a única fonte de revelação. Os Católicos tem a Bíblia e a Tradição, isto é, se uma verdade foi acreditada de modo sustentado e ininterrupto desde Jesus Cristo até nossos dias é que é dogma de fé e porque o povo de Deus em sua totalidade não pode equivocar-se em matéria de fé, porque o Senhor se comprometeu com sua assistência. Uma prova disso, é que, podemos mostrar que a partir dos primeiros Cristãos do Século I em diante, eles já oravam por seus mortos. É só verificar nas catacumbas ou cemitérios dos primeiros Cristãos os escritos esculpidos com muitas orações pelos falecidos.

Caríssimos irmãos! Podemos e devemos fazer orações e sacrifícios pelos mortos. Devemos rezar por todas as almas , porque não sabemos com certeza, quais estejam realmente precisando, e em condições de receber o mérito impretatório das nossas orações e sacrifícios oferecidos a Deus por elas. Estes, e sobretudo as Santas Missas que fizemos celebrar, não ficarão sem efeito. Pois Deus saberá aplicá-los às almas que mais estiverem precisando, além de ser para nós, ocasião de prestarmos a Deus as homenagens que Lhe devemos.

FONTE:http://vocacionadosdedeusemaria.blogspot.com/2011/12/o-purgatorio-e-oracao-pelos-mortos.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+Vocacionadosdedeusemaria+%28Vocacionados+Menores%29

A Bíblia indica que devemos aceitar a Tradição Oral


São Paulo recomenda e ordena a manutenção da Tradição Oral. Em1 Cor 11,2, por exemplo, lemos: “Eu vos felicito por vos lembrardesde mim em toda ocasião e conservardes as tradições tais como euvo-las transmiti” (4). São Paulo está claramente recomendando quemantenham a tradição oral, e deve ser notado em particular que elecongratula os fiéis por fazê-lo (Eu vos felicito...). Também é explícito notexto o fato de que a integridade desta Tradição oral apostólica eraclaramente mantida, da mesma forma como Nosso Senhor haviaprometido, sob o auxílio do Espírito Santo (cf. Jo 16,13).

Talvez o mais claro apoio bíblico para a Tradição oral seja 2 Ts 2,15, onde os cristãos são enfaticamente advertidos: “Assim, pois, irmãos, ficai inabaláveis e guardai firmemente as tradições que vos ensinamos, de viva voz ou por carta”. Esta passagem é significante porque: a) mostra uma tradição oral apostólica vivente, b) diz que os cristãos estarão firmemente fundamentados na fé se aderirem a estas tradições e c) claramente afirma que estas tradições eram tanto escritas como orais. A Bíblia distintamente mostra aqui que as tradições orais - autênticas e apostólicas em sua origem - deveriam ser seguidas como componente válido do Depósito da Fé, então por quais razões ou desculpas os protestantes a rejeitam? Com que autoridade podem rejeitar uma exortação clara do apóstolo Paulo?

Além do mais, devemos considerar o texto desta passagem. A palavra grega krateite, traduzida aqui como “guardar”, significa “estar firme”, “forte”, “prevalecer” (5). Esta linguagem é enfática, e demonstra a importância da manutenção destas tradições. Obviamente, devemos diferenciar o que seja Tradição (com T maiúsculo), que é parte da revelação divina, das tradições da Igreja (com t minúsculo) que, mesmo que sejam boas, desenvolveram-se tardiamente e não fazem parte do Depósito da Fé.

Um exemplo de algo que seja parte da Tradição seria o batismo infantil; um exemplo de tradições da Igreja seria o calendário das festas dos santos. Tudo que venha da Sagrada Tradição é de origem divina e são imutáveis, enquanto que as tradições da Igreja são cambiáveis pela Igreja. A Sagrada Tradição serve-nos como regra de fé por mostrar no quê a Igreja tem consistentemente crido através dos séculos e como ela sempre entendeu uma determinada parte Bíblica. Uma das principais formas pelo qual a Sagrada Tradição foi transmitida a nós está nas doutrinas dos textos litúrgicos antigos, o serviço divino da Igreja.

Todos já notaram que os protestantes acusam os católicos de promoverem doutrinas novas e anti-bíblicas baseadas na Tradição, por afirmarem que tal Tradição contém doutrinas que são estranhas à Bíblia. Entretanto, esta acusação é profundamente falsa. A Igreja Católica ensina que a Tradição Oral não contém nada que seja contrário à Tradição Escrita. Alguns pensadores católicos afirmam, inclusive, que não há nada na Tradição Oral que não seja encontrado na Bíblia, mesmo que implicitamente ou em formas seminais. Certamente as duas estão em perfeita harmonia e complementam uma à outra. Para algumas doutrinas, a Igreja faz uso da Tradição mais que pelas Escrituras para seu entendimento, mas mesmo estas doutrinas estão incluídas nas Sagradas Escrituras. Por exemplo, as doutrinas seguintes são preferencialmente baseadas na Sagrada Tradição: batismo infantil, o cânon das Escrituras, o domingo como Dia do Senhor, a virgindade perpétua de Maria e a assunção de Maria.

A Sagrada Tradição complementa nossa compreensão da Bíblia ao mesmo tempo que não constitui uma fonte extra-bíblica de revelação, com doutrinas novas ou estranhas a ela. Muito pelo contrário: a Sagrada Tradição age como a memória viva da Igreja, relembrando-a constantemente o que criam os cristãos antigos, como entendiam e interpretavam as passagens bíblicas (6). De certa forma, é a Sagrada Tradição que diz ao leitor da Bíblia: Você está lendo um livro muito importante, que contém a revelação de Deus aos homens. Agora deixe-me explicá-lo como ela sempre foi entendida e praticada pelos cristãos desde o início dos tempos.

Notas

(4) A palavra traduzida como ordenança é também traduzida como ensinamento ou tradição, por exemplo, a NIV traz ensinamento com uma nota dizendo: "ou tradição".

(5) Vine, op. cit., p. 564.

(6) Um exemplo desta forma interpretativa envolve Ap 12. Os Padres da Igreja entenderam a mulher vestida de sol como referência à Assunção da Virgem Maria. Alguém afirmar que esta doutrina não existia até 1950 (o ano em que o Papa Pio XII definiu-o como dogma de fé) corresponde a uma grande ignorância de história eclesial. Essencialmente, a crença surgiu desde o início, mas não fora formalmente definida até o século 20. Deve-se saber que a Igreja geralmente não costuma definir uma doutrina formalmente a não ser que esta seja questionada por correntes heréticas perigosas. Tais ocasiões requerem uma necessidade oficial de definir parâmetros sobre a doutrina em questão.

Fragmentos da obra "Scripture Alone? 21 Reasons to reject Sola Scriptura" de Joel Peters, traduzido e editado em português pelo Apostolado Veritatis Splendor na forma de ebook com o título "Somente a Escritura?". Tradução de Rondinelly Ribeiro Rosa. Pgs 15-17.
FONTE:http://vocacionadosdedeusemaria.blogspot.com/2011/12/biblia-indica-que-devemos-aceitar.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+Vocacionadosdedeusemaria+%28Vocacionados+Menores%29

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Ação Social - NATAL 2011 - Asilo SOLAR DO OUTONO - SUCESSO (FOTOS E VÍDEOS)

GOSTARIA DE AGRADECER A TODOS OS COLABORADORES DE MAIS ESTA AÇÃO SOCIAL REALIZADA COM A AJUDA DOS VOLUNTÁRIOS DO GRUPO AMIGOS DO CORAÇÃO E COM TODOS DEMAIS GRUPOS QUE SOMARAM NA REALIZAÇÃO DESTA GRANDE AÇÃO SOCIAL NO LAR DOS VELHINHOS SOLAR DO OUTONO!

PASTORAL FAMILIAR(PARÓQUIA SÃO FRANCISCO E SANTA CLARA DO TURU); BANDA DO CORPO DOS BOMBEIROS;
CORAL DO PAI;GRUPO AS PASTORAS DE NATAL E MUITOS OUTROS COLABORADORES ANÔNIMOS.  













video
video
video
Feliz Natal!! 

Que as bençãos de Deus em 2012 sejam tão abundantes quanto foram para os 34 idosos atendidos pelo Solar do Outono, em mais uma ação social promovida por nosso grupo de voluntários... do qual você faz parte!!

Não temos palavras para agradecer a todos que se dedicaram para que esse dia fosse especial! Entre as atrações tivemos: Coral do Pai, Banda dos Bombeiros, Palhacinha Magic, Auto de Natal, apresentação dos próprios idosos da casa e até Papai Noel compareceu para entregar os presentes!! Tivemos também cabeleireiro, manicure, almoço e lanche especiais... e um baile animado por uma seleção de músicas dos melhores tempos!!

Aos padrinhos, que "adotaram" cada um dos idosos para que todos recebessem presentes... OBRIGADO!! Voluntários AMIGOS DO CORAÇÃO, Pastoral Familiar da Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu; e a todos os voluntários que estiveram conosco, dando seu apoio nas mais diversas atividades... OBRIGADO!! 

Em nome do Solar do Outono e de todos os idosos, aceitem o nosso MUITO OBRIGADO!!

As fotos já estão disponíveis no link:

Quem ainda quiser contribuir, a casa sempre precisa:

- fraldas geriátricas (M e G);
-  produtos de higiene pessoal (shampoo, condicionador, desodorante, colônia, talco, hidratante, barbeador, sabonete, escova de dente, pasta de dente, creme de pentear, etc.);
- roupas e calçados novos/usados;
- roupas de cama;
- toalhas de rosto e banho;
- alimentos não perecíveis.

Demais necessidades da casa:
- cama com proteção lateral para evitar quedas;
- colchões para idosos (34);
- piso antiderrapante, que se encontra muito estreito;
- equipamento de proteção individual adequados, para funcionários da limpeza e equipe de enfermagem;
- pintura de todo o estabelecimento;
- armários com chaves para guardar os pertences dos funcionários;
- armários com chaves para guardar os alimentos dos idosos;
- carrinho para transportar roupas dos idosos;
- cômodas individuais para os idosos;
- passadeiras emborrachadas;
- cadeiras de banho adequadas;
- cadeiras de rodas;
- poltronas reclináveis de napa;
- botas de borracha para os funcionários;
- ventiladores de parede / teto;
- lâmpadas natalinas, decoração de Natal.
.
Contato do Solar do Outono: 3244-0367, Bia - secretária; Ana Azoubel - diretora
.
Maiores informações - Voluntários AMIGOS DO CORAÇÃO:
Claudete Pletsch – voluntária: 3248-1693 / 9976-4863
Luzia de Fátima Martins – voluntária: 3245-5288 / 9117-2771


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

CAMPANHA DE DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA

Amigos,

Vamos ajudar a Ingrid (10 anos), que é filha de um amigo, Rogério. Essa campanha é real, não é como a maioria que é SPAM. Eu os conheço e faço coro a esse pai que está desesperado na esperança de encontrar um doador de medula óssea compatível para a filha, antes que seja tarde demais...

Portanto, se vc puder doar, vá até o HEMOMAR. Se não puder, ajude ao menos divulgando entre sua lista de contatos, nas suas páginas sociais, para que alcancemos o quanto antes o nosso objetivo.

Deus abençoe a todos, para que nunca tenham que passar por tal situação... só quem passa sabe o que é!!

Claudete Pletsch

Maiores informações:
rogeriojapinheiro@hotmail.com
(98) 8121-6629 / 8889-3236

From: rogeriojapinheiro@hotmail.com
To: claudetep2000@hotmail.com
Subject: Campanha para doação de medula óssea - Ingrid Rayanne
Date: Fri, 16 Dec 2011 16:48:41 +0300

Minha filha, Ingrid Rayanne, está com Leucemia do tipo mielóide crônica.

No momento ela se encontra no Centro Infantil Boldrini (Campinas-SP) para tratamento.

O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue.

Infelizmente, nem eu nem a mãe dela somos compatíveis para realizar a doação.

Se você tem interesse em ser um doador por favor entre em contato com o HEMOMAR.

Gostaria também que você me ajudasse a realizar uma campanha para conseguir possíveis doadores, repassando este e-mail a todos os seus contatos.

Link´s informativos sobre o processo de doação.
http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=64
http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=125

Link do Centro Infantil Boldrini
http://www.boldrini.org.br/site/default.asp

Ingrid participando de campanha para o Boldrini
http://www.youtube.com/watch?v=bd7OVHsjxjg

Passo a passo para se tornar um doador - Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias. - Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente. - Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante. - Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação. - Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL!- Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação. - Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte. - A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo. - É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato. Caso você decida doar

1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). 2. Onde e quando doar
É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros nos estados. Para mais informações, ligue para (98) 3216-1112. 3. Como é feita a doação
Será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais. Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro. Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários. Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado. A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.

Importante
Um doador de medula óssea deve manter seu cadastro sempre atualizado.
O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue.

Muito obrigado.

Rogério Pinheiro
rogeriojapinheiro@hotmail.com
(98) 8121-6629 / 8889-3236

www.inca.gov.br
‎- Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias.

JMJ 2013 confirmada para os dias 23 à 28 de Julho de 2013

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

ATUALIZADO - Ação Social - NATAL 2011 - Asilo SOLAR DO OUTONO

Dia 18/12/11, domingo, a partir da 15:00hs - Av. 03, no IV Conjunto Cohab Anil

Conseguimos atender a todas as solicitações de presentes!!

URGENTE!!! Precisamos de suprimentos para o almoço e lanche:

ALMOÇO
Para salada – 6 pés de alface, 3 kg de tomate e 3 kg de cenoura;
Purê de batata – 5 Kg de batatas;
Arroz com ervilhas – 10 kg de arroz e 1 pct de ervilhas congeladas;
Frango – 15 Kg de coxa e sobre coxa;
Sobremesa – 1 melancia, 2 melões, 2 dz de banana e 2 mamões grandes.
LANCHE DA TARDE
6 pct de bolacha Creme Crack;
3 kg de Polpa de frutas – acerola ou maracujá ou bacuri;
Bolo de macaxeira – ½ kg de manteiga e 24 ovos.
Todo material deverá ser entregue até sábado.
Não vamos esquecer as demais doações e contribuições!!

Demais necessidades dos idosos:
- fraldas geriátricas (M e G);
- produtos de higiene pessoal (shampoo, condicionador, desodorante, colônia, talco, hidratante, barbeador, sabonete, escova de dente, pasta de dente, creme de pentear, etc.);
- roupas e calçados novos/usados;
- roupas de cama;
- toalhas de rosto e banho.

Necessidades da casa:
- cama com proteção lateral para evitar quedas;
- colchões para idosos (34);
- piso antiderrapante, que se encontra muito estreito;
- equipamento de proteção individual adequados, para funcionários da limpeza e equipe de enfermagem;
- pintura de todo o estabelecimento;
- armários com chaves para guardar os pertences dos funcionários;
- armários com chaves para guardar os alimentos dos idosos;
- carrinho para transportar roupas dos idosos;
- cômodas individuais para os idosos;
- passadeiras emborrachadas;
- cadeiras de banho adequadas;
- cadeiras de rodas;
- poltronas reclináveis de napa;
- botas de borracha para os funcionários;
- ventiladores de parede / teto;
- lâmpadas natalinas, decoração de Natal;
.
Comunique-nos a sua doação com URGÊNCIA para que possamos nos organizar e providenciar para que não falte nada!
.
Entre em contato que vamos buscar sua doação caso não possa levar ou comparecer.
.
Lista de Presentes - ATENDIDOS:

- Francisco Alencar - 76 anos, dependente, cadeirante - 1 bermuda (40) e camisa (M); Rosa RodriguesPastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu
- Geraldo Pedro - 69 anos, dependente, usa bengala - 1 bermuda (M) e camiseta (P); Teresa e FelipePastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu
- Cícero Lima - 83 anos, dependente, cadeirante - 1 camisa de botão (G) e calça comprida (G); Nazareth / CAEMA
- José Ribamar - 84 anos, dependente - 1 micro system (pode ser usado); DANIELE / Tribunal
- José Rosa - 84 anos, dependente, deficiente visual - 1 camisa (M), 1 bermuda (M) e 1 sandália (40); DANIELE / Tribunal
- Marcelino - 75 anos, dependente, cadeirante - 1 camisa e 1 bermuda jeans (42); LEOMAGNA SEREJO – TRANSUL TRANSPORTE
- Nadir - 86 anos, dependente, usa bengala - 1 vestido comprido (G) e sapatilha lilás (37); LIVIA DURAENS – TRANSUL TRANSPORTE
- Antonio - 69 anos, dependente - 1 bermuda e 1 camisa; NETÍCIA – TRANSUL TRANSPORTE
- Augustinho - 77 anos, independente - 1 bermuda (40) e camisa (M);  ELIS MARJORIE - TRANSUL TRANSPORTES
- Raimundo Lima - 67 anos, independente - 1 sandália de couro (41); DEUSILENE RABELO – TRANSUL TRANSPORTE
- Engrácia - 101 anos, semi-dependente - 1 sandália bonita (38) ou vestido ou conjunto de saia e blusa (a idosa gosta de roupa comprida e folgada); UIMAR JUNIOR
- Raimundo Leitão - 91 anos, dependente, deficiente visual, cadeirante - 1 camisa de botão (G) e sapato (41); ROSILENE LIMA - TRANSUL TRANSPORTE
- Jonas - 75 anos, dependente - 1 camisa (M); STHAYSSE PIRES - TRANSUL TRANSPORTE
- Cecy - 75 anos - 1 travesseiro e 1 vestido; MURILO DE JESUS – TRANSUL TRANSPORTE
- Jackson - 75 anos, independente -1 bermuda (40) e camisa (M); IVANIRA VASCONCELOS - TRANSUL TRANSPORTE
- José de Melo - 87 anos, independente - 1 camisa social manga comprida (M) e calça comprida (M);POLLYANNA MOREIRA – TRANSUL TRANSPORTE
- Erivaldo - 70 anos, dependente - 1 camisa esporte (P) e 1 bermuda (M); POLLYANNA MOREIRA - TRANSUL TRANSPORTE
- Luiza - 81 anos, dependente - 1 saia e 1 blusa (P); ALINE LEMOS - TRANSUL TRANSPORTE
- Maria Farias - 90 anos, independente - 1 vestido bem bonito (G) e sandália (35/36 - a idosa não quer sandália que prende atrás); POLLYANNA MOREIRA - TRANSUL TRANSPORTE
- Reginaldo - 80 anos, dependente - 1 camisa esporte (M); MARCOS AURELIO - TRANSUL TRANSPORTE
- Sebastião - 65 anos, dependente - 1 camisa (M);  KAROL FRAZÃO - TRANSUL TRANSPORTE
- Vitória - 84 anos, dependente, cadeirante - 1 anel e 1 vestido (M); MURILO DE JESUSB - TRANSUL TRANSPORTE
- Zeferina - 79 anos, dependente, sequelada de AVC - 1 pantufa (38) e 1 contensor de punho; POLLYANNA MOREIRA - TRANSUL TRANSPORTE
- Antonia - 49 anos, dependente - lençol luva de elástico ou camisola; (ATENDIDO - Nega, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- José Remício - 95 anos, independente - 1 camisa esporte (P); (ATENDIDO - Elisângela, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- José Gomes - 81 anos, dependente, cadeirante - 1 camisa esporte (P0 e livro de estória (Romance); (ATENDIDO - D.Leomar e S.Ribamar, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- Júlio Teitelbaum - 88 anos, dependente, cadeirante - 1 roupão (M); (ATENDIDO - Wagner e Débora, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- Aristides - 79 anos, semi-dependente - 1 rádio de pilha ou roupa; (ATENDIDO - Sayonara e Marcelo, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- Carlos Augusto - 69 anos, semi-dependente - 1 camisa (P) e 1 bermuda (M); (ATENDIDO - Selma e Paulo, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- Eurídice - 96 anos, dependente, cadeirante - 1 vestido ou brinco e colar; (ATENDIDO - Sayonara e Marcelo, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- Geraldo Assunção - 85 anos, independente - 1 imagem de Menino Jesus de Praga; (ATENDIDO - Pedro e Deti, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- Inês - 104 anos, dependente, cadeirante - 1 conjunto de short e blusa de elanca (M); (ATENDIDO - D. Socorro - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)
- Iara - 79 anos, dependente, cadeirante - boneca e conjunto de colar e brinco; (ATENDIDO - Ruth e Alcino, Pastoral Familiar - Paróquia São Francisco e Santa Clara / Turu)

O Solar do Outono atende 33 idosos, sendo 11 mulheres e 22 homens, com faixa etária entre 65 e 104 anos. Sua estrutura com 14 alojamentos; 5 banheiros; consultório odontológico, médico e psicológico; enfermaria; sala de terapia ocupacional e fisioterapia; restaurante e refeitório; recepção e outras dependências. O Asilo tem convênio com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, responsável pelos custos dos profissionais; e com a Secretaria de Saúde do Município e do Estado, que contribuem com remédios, alimentação e o estoque das enfermarias. No entanto, essas contribuições nem sempre são suficientes, sendo necessário o apelo ao público e ao setor privado para garantir o sustento da casa. Além do mais, os idosos necessitam de atenção e carinho constantes, que vêm em grande parte de voluntários que se disponibilizam a visitá-los.

Dia 18/12/11, domingo, a partir da 15:00hs - Av. 03, no IV Conjunto Cohab Anil

Programação:
09:00 hs -  corte de cabelo (ver quem pode ajudar)
manicure e pedicure (ver quem pode ajudar)
oficinas (ver quem pode ajudar)
11:30 hs -  almoço - oferecido pelos voluntários (arrecadando suprimentos)
15:00 hs -  lanche - oferecido pelos voluntários (arrecadando suprimentos)
apresentação do Coral de Idosos do SESC
apresentação da Banda dos Bombeiros
apresentações, brincadeiras dos voluntários (a definir)
distribuição de presentes aos idosos (ver lista de pedidos)
17:30 hs -  encerramento
.
Fotos de trabalhos desenvolvidos pelo grupo no link: http://picasaweb.google.com.br/claudetep2000
.
Fotos do Solar do Outono no link: 
Contato do Solar do Outono: 3244-0367, Bia - secretária; Ana Azoubel - diretora
.
Maiores informações - Voluntários AMIGOS DO CORAÇÃO:
Claudete Pletsch – voluntária: 3248-1693 / 9976-4863
Luzia de Fátima Martins – voluntária: 3245-5288 / 9117-2771