domingo, 19 de dezembro de 2010

A oração é necessária?

A oração é necessária?

(do livro O pequeno Missionário, dos Missionários da Congregação da Missão, editora Vozes, Petrópolis, 8ª edição, 1958)
A oração
Há um inferno, suplícios eternos. É horroroso, mas é certo. A porta do inferno é o pecado mortal. Há também um céu, morada de Deus, mansão dos anjos e santos, uma glória, uma felicidade eternas. A chave de ouro do céu é a oração. Quereis evitar o inferno, merecer o céu? É absolutamente necessário rezar.
I
A oração é necessária
Sem mim, nada podeis, disse o Salvador. Sem Deus, isso é, sem sua graça, nada podemos, nem evitar o mal, nem praticar o bem. Ora, no curso ordinário não há graça sem oração, porque, segundo o Evangelho, será dado a quem pedir, por isso Jesus disse: Pedi e recebereis, procurai e achareis, batei e abrir-se-vos-á. Portanto, se não rezamos não obtemos a graça. Ora, quereis saber o que é um cristão sem a graça? É um soldado sem armas, uma planta sem água, um corpo sem alimento.
O homem que não se alimenta não tem força, nem saúde, nem alegria, breve morrerá. Tal o cristão que não reza.
Somos levados ao pecado pela corrupção do coração, pelos escândalos do mundo, pelas tentações contínuas do demônio. No meio destes inimigos, temos uma fraqueza extrema, uma cegueira inconcebível que nos levam a sacrificar os bens do céu aos da terra. Como resistir, como triunfar por entre esses perigos? Pela oração. Porque, se certo é que nada podemos sem a graça, tudo podemos com ela. Pecadores que gemeis sob o peso de vossos maus hábitos, quereis quebrar vossas prisões? Rezai. Justos, quereis evitar o pecado e perserverar na virtude? Rezai. Na prosperidade e na indigência, na alegria e na tristeza, na paz e na pertubação, no fervor e na tibieza, rezai: a oração é a garantia de todos os estados, a consolação de todas as penas, o triunfo de todas as tentações.


















Freira Carmelita recolhida em sua cela