sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O BRANCO e o RÉVEILLON!

O BRANCO e o RÉVEILLON!


Para nós, o branco, por seu efeito óptico, sua ausência de coloração, nos parece próximo da própria luz. Sua irradiação transmite pureza e calma.
É a cor do reino dos céus, da luz divina de Deus, da santidade e da simplicidade. As pessoas justas – aquelas que eram boas, honestas e viveram pela Verdade - são representadas nos ícones com vestes brancas.
Mas o branco também é a cor dos lençóis da morte, do Cristo na deposição na tumba e de Lázaro. Segundo Dionísio Aeropagita, o branco é cor da glória e da potência do divino, mas também da destruição do mundo terrestre. Após a ressurreição, o Cristo é sempre representado de branco.
Diz Salomão: “A Sabedoria é mais móvel que qualquer movimento e, por sua pureza, tudo atravessa e penetra. Ela é um eflúvio do poder de Deus, uma emanação puríssima da glória do Onipotente, pelo que nada de impuro nela se introduz. Pois ela é um reflexo da luz eterna, um espelho nítido da atividade de Deus e uma imagem de sua bondade.” (Sabedoria, 7:24-26).

O Profeta Daniel assim vê a Divindade: “Eu continuava contemplando, quando foram preparados alguns tronos e um Ancião sentou-se. Suas vestes eram brancas como a neve; e os cabelos de sua cabeça, alvos como a lã. Seu trono eram chamas de fogo com rodas de fogo ardente.” (Daniel, 7:9).
Como o branco é a unidade de todas as cores, consequentemente, torna-se, simbolicamente, o emblema da Divindade, da Onipotência de Deus, que encerra em si mesma todas as virtudes. O branco, atribuído a Deus Pai, é o símbolo da Verdade absoluta de Deus, unidade de tudo que procede, verdade por essência, verdade imutável.

Na Transfiguração no Monte Tabor, os apóstolos vêem que o rosto de Jesus “resplandeceu como o sol e as suas vestes tornaram-se alvas como a luz.” (Mateus, 17:2). No Ícone da Paternidade, o Pai é representado vestido de branco. Os anjos que anunciam a ressurreição do Cristo também são representados com vestes brancas, fulgurantes. (Mateus 28:3; Marcos 16:5, Lucas, 24:4, João 20:12) assim como o anjo da Ascensão (Atos 1:20).

De seu principal significado, como Verdade absoluta, derivam outros significados não menos importantes, como a fé e a pureza. O Papa veste-se de branco para indicar que suas virtudes devem ser a fé e a pureza de coração, uma vez que representa o Cristo sobre a terra e é o depositário da verdade.
No plano humano, o branco representa a virgindade, a inocência, a pureza e a candura.

Infelizmente o que vemos no Réveillon é o sincretismo, onde milhares de Católicos agem como se fossem do Candomblé, e muitos agem conscientes que estas práticas são avessas ao catolicismo. No Candomblé quem gosta de cachaça é Exu, quem veste branco é Oxalá, quem recebe oferendas em alguidares (vasos de cerâmica) são orixás. E quem adora os orixás são milhões de brasileiros que vão as praias e em outros lugares fazerem este tipo de ritual. Yemanjá é a soberana das águas, segundo esta “religião”, e gosta de rosas brancas jogadas ao mar.

Não foi em vão que em Apocalipse 12, 17 falando da grande guerra entre a Virgem Maria e o Dragão relata: “Este, então, irritou-se contra a Mulher e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus e tem o testemunho de Jesus. Ele (o dragão) se estabeleceu na praia.”

E é justamente na praia que o homem age de forma, e tomando a forma do inimigo de Deus; ou seja, promovendo o ocultismo, mandingas, simpatias; promovendo a libertinagem, a nudez, a fornicação, sexo livre. Será que foi por acaso que o dragão foi se estabelecer a beira do mar? Ele conhece bem onde nos pegar, onde e como armar suas ciladas (...).

Ó Virgem Santíssima, Mãe de Deus e nossa, pisai a cabeça da serpente infernal e enviai sua Milícia Angelical em socorro de seus filhos! Ensinai-nos a combater o bom combate, dissipai as audácias de satanás e fazei nascer em nós um verdadeiro amor por seu Divino Filho, Nosso Senhor e Salvador!

Desejo a todos os leitores do "Santa Mãe de Deus!" um 2011 de grandes conquistas espirituais, que possamos deixar as tolices, as crendices, o sincretismo, o falso ecumenismo; enfim, que possamos ser inteiramente de DEUS e servi-Lo como verdadeiros CATÓLICOS! Busquemos sim, revestirmos da graça do Senhor e deixarmos nossas almas puras e alvas, pois esta é nossa meta, nossa santificação! Salve Maria!

http://santopapabentoxvi.blogspot.com/2010/12/o-branco-e-o-reveillon.html