quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Bispos pressionam Alckmin a endurecer legislação antiaborto

Dezembro 29, 2010 - 06:20

Bispos pressionam Alckmin a endurecer legislação antiaborto

Igreja Católica quer apoio do governador eleito para um projeto de iniciativa popular visando impedir em todo o Estado o uso de métodos para interrupção da gravidez; ofensiva é liderada por Taubaté
Beatriz Rosa
São José dos Campos

Bispos paulistas querem o apoio do governador eleito Geraldo Alckmin (PSDB) para reforçar o veto ao aborto no Estado de São Paulo.

Um projeto de lei de iniciativa popular encabeçado pela Diocese de Taubaté pretende tornar a legislação estadual sobre o tema mais rígida que a Constituição Federal, vetando em todo o Estado o uso de métodos para a interrupção da gravidez.

De acordo com a Comissão Diocesana em Defesa da Vida de Taubaté, o bispo dom Carmo Rhoden irá solicitar pessoalmente uma reunião com Alckmin para tentar sensibiliza-lo.

O projeto de lei antiaborto foi lançado pela Diocese de Taubaté em novembro e já conta com a adesão de outras sete em todo o Estado (São José dos Campos, Campinas, Santos, Santo André, Assis, Guarulhos e Presidente Prudente).

Para que a proposta possa ser votada na Assembleia Legislativa, a Igreja precisará coletar pelo menos 300 mil assinaturas.

“A adesão de muitas dioceses confirma que o povo brasileiro é contra o aborto, pela vida. Nosso movimento defende o direito à vida como primeiro e principal de todos os direitos humanos, pois a vida vale por inteiro, desde a fecundação até a morte natural”, disse o coordenador da Comissão em Defesa da Vida de Taubaté, Hermes Rodrigues Nery.

“Queremos ver isto um dia explicitado na Constituição Federal, para que o direito à vida esteja garantido à todos os brasileiros.”

Atualmente, a legislação estadual permite o aborto em casos de estupro ou quando a gravidez oferece riscos à vida da mãe --a exemplo da Constituição Federal.

Adesão. A Comissão em Defesa da Regional Sul 1 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), que abrange as 46 dioceses paulistas, apoiou a iniciativa. “Assumimos esse projeto”, disse o coordenador do grupo, padre Berardo Graz.

O religioso pretende encaminhar carta à Comissão Representativa da Regional Sul 1 em março pedindo o apoio de todas as dioceses do Estado.

“É matéria de primeira ordem garantir a vida desde sua fecundação. Os católicos não podem vacilar ou serem indecisos sobre a questão do aborto”, disse o padre.
Alckmin foi procurado por meio de sua assessoria de imprensa, mas não se pronunciou sobre o assunto.

FONTE:http://187.103.147.36:8080/cmlink/o-vale/regi-o/bispos-pressionam-alckmin-a-endurecer-legislac-o-antiaborto-1.59620